segunda-feira, 2 de agosto de 2010

O cão e o vazio.

Me perdoem aqueles que batalham diariamente seu ganha-pão. Me perdoem, pois eu também o batalho e muito, mesmo quando a minha falta de desejo me diz lá no bem fundinho: fica deitado. Me digo também que fui mal aprendido, o mimo me estragou. Criação de vó, Olha só!É verdade: olha só. O marasmo, o marasmo foi me engolindo nas pequenas lidas de ter de ganhar o tal pedaço de pão. E o fracasso cresceu, cresceu para danado, tanto que olho para o passado, revejo os tempos e mesmo assim a morosidade continua habitando a pálpebra. Poderia me mentir um pouco: Ah eu fiz isso! Ah eu fiz aquilo! Ah eu publiquei em tal e tal lugar. Meus textos correram os rios e inundaram de poemas algumas mentes. Mentira! Mentira! O que pousa agora pelos meus escrutínios é a voz do fracasso. O inapelável fracasso fruto da procrastinação, da eterna preguiça. Não se trata, Não se trata de ser ou deixar de ser o mito superhomínico, não... não é isso. É o vazio, a nesga de escuridão, a penúria e essa mania de auto-piedade. Por mais que me esforce, não valho nada, já dizia Zé Régio. E acordo no dia seguinte, na manhã seguinte, e negocio com o relógio mais 15 minutos, mais 15 minutos. Ah se eu pudesse fazer essa cidade andar no meu ritmo, se pudesse o tempo parar para eu passar arrastando chinelos seria maravilhoso. Se eu pudesse ser apenas um olhar de cão preso numa coleira e passeando, seria divino. Mas não é, pois sou eu que coloco a coleira e passeio o cão, sou eu, inclusive, que persigo quem não paga as contas, sou eu que tenho que de acordar e sair pela manhã para vender livros que não escrevi. E já vendi milhares de besteiras, milhares de livros mal escritos, de porcarias. Mas cada qual com o seu pão e cada qual com o seu cão. E o meu já está aqui me olhando, pedindo para dar uma volta, já vou... Xô preguiça! Xô zica! Depois volto para escrever mais, quem sabe vem um novo livro por aí, quem sabe. Afinal, um pouco de otimismo não faz mal!

6 comentários:

Tati Carlotti disse...

Esse é Flávio que eu conheço! Beijo querido!

Marco disse...

Espero que o meu não seja uma dessas porcarias... hehehehe. Se alevanta poeta, precisamos dos teus versos.

Marco Simas

Flávio Corrêa de Mello disse...

Já levantei... aliás levanto-me todos os dias.
ô simas teus livros são ótimos!
beijos tati, beijos marco

Flávio Corrêa de Mello disse...

Já levantei... aliás levanto-me todos os dias.
ô simas teus livros são ótimos!
beijos tati, beijos marco

Flávio Corrêa de Mello disse...

Já levantei... aliás levanto-me todos os dias.
ô simas teus livros são ótimos!
beijos tati, beijos marco

Jandira disse...

xô preguiça digo eu. Bom poeta preguiçoso num dá. Arriba filhote!