sexta-feira, 12 de junho de 2009

TRADUÇÕES DE JORGE WANDERLEY

No dia dos namorados, um presentaço do blogueiro para os amantes da literatura: alguns poemas de língua inglesa traduzidos por um dos maiores amantes da poesia, Jorge Wanderley.



Emily Dickinson

I died for beauty

I died for beauty but was scarce
Adjusted in the tomb,
When one who died for truth was lain
In an adjoining room.

He questioned softly why I failed?
“For beauty”, I replied.
“And I for truth, - the two are one;
We brethren are”, he said.

And so, as kinsmen met a night
We talked between the rooms,
Until the moss had reached our lips,
And covered up our names.



Morri pela beleza

Morri pela beleza e mal chegara
A me ajustar ao meu túmulo
Quando alguém, que morreu pela verdade,
Foi estendido ao meu lado.

Suave perguntou porque eu morrera.
“Pela beleza”, eu lhe disse.
“E eu pela verdade – o que é o mesmo;
Somos irmãos”, respondeu.

E assim, como parentes reunidos,
Conversamos noite a dentro
Até que o musgo alcançou os nossos lábios
E recobriu nossos nomes.

Hilda Doolitle

Heat

O wind, rend open the heat.
cut apart the heat,
rend it to tatters.

Fruit cannot drop
through this thick are –
fruit cannot fall in to heat
that presses up and blunts
the point of pears
and rounds the grapes.

Cut the heat –
plough trough it,
turning it on either side
of your path.


Calor

Ó vento, rasga o calor,
secciona o calor,
rasga-o em farrapos.

Os frutos não podem cair
por este ar espesso...
não podem cair no calor
que se opõe e dá forma romba
às pontas das peras
e arredonda as uvas.

Corta o calor...
fende-o,
transforma-o nos dois lados
da tua estrada.


Patricia Hooper

Desert


Where there’s a river
that tastes of direction.

Where there’s on orchard,
that says survival.

Where there’s a desert,
that changes everything,

as if hadn’t wanted
to fill only her own need.

Deserto

Onde existe um rio,
aí se tem um sabor de direção.


Onde existe um pomar,
isto diz - sobrevida.

Onde existe um deserto,
isto muda tudo,

como se a terra não tivesse desejado
suprir apenas suas próprias carências.

4 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Excelente antologia.

Jorge Wanderley demonstra competência.

Flávio Corrêa de Mello disse...

Sim,
ele era ótimo!

Jandira disse...

Flávio, foi um presentaço mesmo!Beijo

Flávio Corrêa de Mello disse...

Beijo grande também
vou te telefonar antes de viajar hein!